Você não está logado | Entrar | Cadastrar
26/06/2015

Folha: Delator da Lava Jato cita doação a Mercadante na campanha de 2010




Por: Folha Online

ANDRÉIA SADI
MARINA DIAS
NATUZA NERY
DE BRASÍLIA



O presidente da UTC, Ricardo Pessoa, afirmou a procuradores da Operação Lava Jato que fez uma contribuição para a campanha do petista Aloizio Mercadante ao governo do Estado de São Paulo em 2010. Mercadante hoje é ministro da Casa Civil, o principal auxiliar da presidente Dilma Rousseff.

Pessoa mencionou a contribuição durante as negociações do acordo de delação premiada que ele fez com os procuradores, homologado nesta quinta-feira (25) pelo ministro Teori Zavascki, relator dos inquéritos da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal).

De acordo com a prestação de contas apresentada pelo PT à Justiça Eleitoral em 2010, a UTC doou R$ 250 mil para a campanha de Mercadante.

Os procuradores da Lava Jato ainda não sabem se a doação feita a Mercadante tem ligação com o esquema de corrupção descoberto na Petrobras, alvo principal das investigações em curso.

Em outros casos, executivos de empresas acusadas de participar do esquema disseram que doações eleitorais feitas para o PT eram parte da propina que deviam pagar para manter seus contratos com a Petrobras.

Por meio de sua assessoria, Mercadante afirmou que todas as contribuições para sua campanha em 2010 foram feitas de acordo com a legislação eleitoral e estão registradas na prestação de contas entregue ao TSE.

Segundo petistas que receberam informações sobre as conversas de Pessoa com os procuradores, o empreiteiro fez um relato de uma reunião com membros da campanha de Mercadante para discutir contribuições para seu comitê eleitoral em 2010.

O chefe da Casa Civil reconheceu ter recebido o presidente da construtora em sua casa depois que o empresário manifestou o desejo de conhecer o petista em razão da corrida eleitoral.

Mercadante afirmou ainda não ter conhecimento de que foi citado pelo executivo nas negociações para o acordo de delação premiada e que não recebeu recursos não declarados em sua campanha de 2010.
"Não houve omissão de quaisquer valores. Todas as contribuições foram devidamente contabilizadas e declaradas à Justiça Eleitoral, como consta de minha prestação de contas aprovada pela Justiça Eleitoral", afirmou.

Sobre o encontro com o presidente da UTC, Mercadante confirmou ter estado com ele "uma única vez", por solicitação do empresário, que tinha "o intuito de me conhecer".

Segundo o ministro, o encontro aconteceu em sua casa e teve a participação de Emidio de Souza, então coordenador de sua campanha, hoje presidente estadual do PT-SP. O ministro nega, porém, que tenha havido qualquer negociação de valores na ocasião.

"Posteriormente, a empresa UTC, por ocasião da campanha ao Governo do Estado de São Paulo em 2010, fez uma única contribuição, devidamente contabilizada e declarada à Justiça Eleitoral, no valor de R$ 250 mil reais, conforme demonstrado em minha prestação de contas aprovada pela Justiça Eleitoral", conclui o ministro.

Ricardo Pessoa é hoje apontado pela polícia como um dos líderes do cartel que teria sido formado pelas empreiteiras acusadas de participar do esquema de corrupção na Petrobras.





Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 123 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Deixe seu comentário
Bloqueado
É preciso estar logado para deixar um comentário.
Clique aqui, cadastre-se e participe!!


Este conteúdo tem 0 comentário(s)





Enquete
Em quem você votaria para presidente do Brasil em 2018?


Outros
Michel Temer
Marina Silva
Geraldo Alckmin
Lula
João Doria
Cristovam Buarque
Ciro Gomes
Bolsonaro
Aécio Neves
Opa, selecione uma opção.










Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação | Hospedagem e Manutenção:Núcleo de Tecnologia do PPS
© Partido Popular Socialista - PPS (2008)